|
Dedicatórias
1 2 3

Enfim, a de Carlos Queiroz (Fig. 12): a última dedicatória que se conhece, entre aquelas datadas, anterior de apenas um mês ao falecimento do poeta.

Fig. 12. CFP 8-458. «Ao | Fernando Pessoa, | Espírito Criador | em | Qualidade e Altura, | oferece de propósito | o exemplar nº 13 |dêste livro, | o amigo e admirador | Carlos Queiroz. | 31-10-935». Fig. 12. CFP 8-458. «Ao | Fernando Pessoa, | Espírito Criador | em | Qualidade e Altura, | oferece de propósito | o exemplar nº 13 |dêste livro, | o amigo e admirador | Carlos Queiroz. | 31-10-935».
Fig. 12. CFP 8-458. «Ao | Fernando Pessoa, | Espírito Criador | em | Qualidade e Altura, | oferece de propósito | o exemplar nº 13 |dêste livro, | o amigo e admirador | Carlos Queiroz. | 31-10-935».

Note-se ainda que Pessoa não é o destinatário de uma das dedicatórias (Fig. 13).

Fig. 13. CFP 8-51. «Ao João Camacho, | em louvor do q[ue] nós | dizemos quando | nos encontramos. | Antonio». Fig. 13. CFP 8-51. «Ao João Camacho, | em louvor do q[ue] nós | dizemos quando | nos encontramos. | Antonio».
Fig. 13. CFP 8-51. «Ao João Camacho, | em louvor do q[ue] nós | dizemos quando | nos encontramos. | Antonio». 1

Todas estas figuras e outras que aqui não são referidas, deixaram, nas páginas de guarda e de rosto dos livros que ofereceram a Pessoa, várias notas autógrafas, que podem ser lidas como manifestações de afectuosa admiração (Figs. 14 e 15).

Fig. 14. CFP 3-40. «Ao caro Fernando Pessoa | ? eleito do meu espírito e da mi_ | nha amizade melhor ? | oferece com um longo abraço de | sincera admiração e estima o | João de Lebre e Lima». Fig. 14. CFP 3-40. «Ao caro Fernando Pessoa | ? eleito do meu espírito e da mi_ | nha amizade melhor ? | oferece com um longo abraço de | sincera admiração e estima o | João de Lebre e Lima».
Fig. 14. CFP 3-40. «Ao caro Fernando Pessoa | ? eleito do meu espírito e da mi_ | nha amizade melhor ? | oferece com um longo abraço de | sincera admiração e estima o | João de Lebre e Lima».
Fig. 15. CFP 7-1. «Ao meu antigo discípulo e bom amigo | Fernando Pessoa | muito afectuosamente | off[erec]e | Luiz Furtado Coelho| Janeiro 1932». Fig. 15. CFP 7-1. «Ao meu antigo discípulo e bom amigo | Fernando Pessoa | muito afectuosamente | off[erec]e | Luiz Furtado Coelho| Janeiro 1932».
Fig. 15. CFP 7-1. «Ao meu antigo discípulo e bom amigo | Fernando Pessoa | muito afectuosamente | off[erec]e | Luiz Furtado Coelho| Janeiro 1932».

Fig. 16. CFP 8-133. «Ao Fernando Pessoa | ao seu grande talento | ao genial papá do "Orpheu" | de saudosa memoria | com m[ui]ta admiração | com uma inalterável | admiração offerece | o | Augusto Cunha |  27/12/930». Fig. 16. CFP 8-133. «Ao Fernando Pessoa | ao seu grande talento | ao genial papá do "Orpheu" | de saudosa memoria | com m[ui]ta admiração | com uma inalterável | admiração offerece | o | Augusto Cunha |  27/12/930».
Fig. 16. CFP 8-133. «Ao Fernando Pessoa | ao seu grande talento | ao genial papá do "Orpheu" | de saudosa memoria | com m[ui]ta admiração | com uma inalterável | admiração offerece | o | Augusto Cunha | 27/12/930».

Alguns textos são sentidos tributos a Pessoa, ao seu incontestável papel de guia e mentor cultural, de astro nascente do panorama literário duma inteira geração (Fig. 16. CFP 8-133).
Hoje em dia estas inscrições constituem uma preciosa fonte de informações de cariz biográfico e histórico porque ao desmentirem ou confirmarem datas e factos assumidos como incontroversos, ao preencherem lacunas ainda existentes, permitem completar, de maneira cada vez mais fiel, o retrato de uma das maiores figuras literárias europeias. As dedicatórias lembram que Pessoa não viveu isolado, que teve numerosos amigos e companheiros de viagem e que acompanhou de perto relevantes manifestações culturais e editoriais.

Antonio Cardiello




1Este exemplar das Canções de António Botto – existem vários na biblioteca de Pessoa – contém uma dedicatória não dirigida a Fernando Pessoa.