|
Nota Prévia


Dar visibilidade virtual à biblioteca particular de Fernando Pessoa foi o objectivo de uma iniciativa colectiva que começou em Abril de 2008 e que hoje permite disponibilizar em linha milhares de páginas impressas, muitas das quais contêm anotações, comentários, traduções e outros diversos tipos de textos em prosa e em verso, para além de desenhos, horóscopos e exercícios caligráficos. Estas páginas, que em número quadruplicam o número de autógrafos pessoanos à guarda da Biblioteca Nacional de Portugal (BNP), são decisivas para revisitar a vida e a obra de Fernando Pessoa. A sua biblioteca, composta por mais de 1300 títulos (mais da metade deles em língua inglesa), é um autêntico repertório de fontes e de escritos. Por este e por outros motivos, o seu valor é inestimável. No poema «Un lector», Jorge Luis Borges escreveu: «Que otros se jacten de las páginas que han escrito; | a mí me enorgullecen las que he leído». Que leu Pessoa? Com que propósitos? Estas são só algumas das perguntas que agora se podem começar a formular com mais assiduidade.

Salienta-se que esta biblioteca, albergada na sua grande maioria na Casa Fernando Pessoa (1058 títulos), não conta com todos os exemplares que alguma vez dela fizeram parte; parcelas da mesma estão ainda com a família do escritor e no espólio número 3 da BNP. Mas neste site é possível percorrê-la na sua quase totalidade e descobrir por que razões constitui um objecto de estudo privilegiado; a este respeito, pode ser útil a consulta da revista Portuguese Studies, vol. 24, n.º 2, 2008; do livro Fernando Pessoa: o guardador de papéis, Texto Editores, 2009; e, claro, do volume A Biblioteca Particular de Fernando Pessoa, D. Quixote, 2010. Para ter uma visão rápida de certos exemplares que se optou por destacar, basta visitar Anotações, Assinaturas, Dedicatórias e Selos.

A digitalização da biblioteca foi realizada no âmbito de colaboração protocolada entre a Casa Fernando Pessoa e o Centro de Linguística da Universidade de Lisboa. Agradeço a Inês Pedrosa, directora da Casa, pelo seu apoio, visão e entusiasmo, e a todos os investigadores que, ao longo deste projecto, disponibilizaram o seu tempo para fotografar, página a página, os livros que hoje compõem esta nova biblioteca digital. Dos investigadores destaco Patricio Ferrari e Antonio Cardiello, com quem coordenamos o projecto, e a todos aqueles que participaram de maneira mais empenhada e até à última sessão: Liliana Navarra, Mário Fernando da Silva Costa e Maria Manuel Denis Lages, e nas semanas finais, Jorge Uribe e Fabrizio Boscaglia. Outros nomes e informações figuram na ficha técnica.

Jerónimo Pizarro


Centro de Linguística da Universidade de Lisboa