|
Selos
1 2 3

Fig. 14 (BNP/ E3, 54B-14).
Fig. 14 (BNP/ E3, 54B-14).

Estes dois volumes ostentam os selos da Livraria Ingleza (Figs. 15-16).

Fig. 15. CFP 1-23.
Fig. 15. CFP 1-23.

Fig. 16. CFP 1-24.
Fig. 16. CFP 1-24.
Para Pessoa, a Livraria Ingleza devia representar um recanto de deleite e conforto; devia parecer-lhe como um espaço de paz no meio do movimento da Rua do Arsenal, teatro de algumas das evoluções criativas que "se agitavam na sua cabeça" (cf. a carta a Mário Beirão, de 1-II-1913) e de muitas deambulações metafísicas protagonizadas pelo semi-heterónimo Bernardo Soares (Fig. 17).

Fig. 17. Detalhe do Annuario commercial de Portugal, ilhas e colónias ou annuario commercial do milhão de endereços, Lisboa, [s.n.], 1910, p. 977.
Fig. 17. Detalhe do Annuario commercial de Portugal, ilhas e colónias ou annuario commercial do milhão de endereços, Lisboa, [s.n.], 1910, p. 977.

Era aí, na Livraria Ingleza, que Pessoa costumava também comprar jornais e foi ainda à porta deste local, na primavera de 1920, que decorreram alguns encontros furtivos e apaixonados com Ofélia Queirós. (cf. Cartas de Amor de Fernando Pessoa, organização, posfácio e notas de David Mourão-Ferreira, Lisboa, Ática, 1978, p. 30).

Antonio Cardiello